Líder religioso é preso em Parauapebas por abuso sexual

Foi preso pela Polícia Militar, em Parauapebas, e conduzido à 20ª Seccional de Polícia Civil, na última sexta-feira (22), o líder religioso José Américo Brito Marques (foto), 32 anos, acusado de ter abusado sexualmente de um adolescente de 16 anos de sua igreja.
Na ocasião da prisão, Américo foi encontrado na companhia do rapaz, porém, para a polícia, o acusado não soube explicar o que estava fazendo com o adolescente. Segundo o sargento PM Roberlan, na última sexta-feira (22) sua guarnição recebeu uma denúncia de que um homem com as características de José Américo havia arrastado um adolescente, utilizando arma branca, em uma parada de van, na Rua Marabá, Bairro da Paz.
Ao chegar ao local informado, a polícia encontrou apenas uma adolescente namorada do um rapaz de 16 anos. A menina contou que estava em um ponto de van na companhia do namorado quando foram surpreendidos por uma pessoa que estava em uma motocicleta.
José Marques jogou o veículo para cima do casal, sacando em seguida uma arma branca e levando “à força”, o rapaz de 16 anos, deixando a moto na parada de van.
Os policiais, na companhia da adolescente, tentaram encontrar a vítima e o agressor, percorrendo diversos motéis dos arredores e conseguiram localizar o endereço da mulher do acusado, que foi localizado por telefone. Ao falar com a mulher, o acusado disse que ia entregar o adolescente.
A guarnição da PM foi até o local na Rua Fortaleza, conhecida como “Rua do Meio”. José Américo se entregou à polícia junto com o rapaz. No entanto, não soube explicar o que estava fazendo em companhia do adolescente.
José Américo estava com dois celulares, quando a polícia o prendeu, e em um dos aparelhos havia uma foto da namorada do adolescente seminua.

O caso
Na delegacia, o rapaz contou que foi vítima de abuso sexual e que ele e o acusado frequentam a mesma igreja há sete anos. A vítima disse que, em outra ocasião, já havia sido convidado para dormir na casa do líder religioso.
O adolescente contou que na noite que dormiu na residência de José Marques, o acusado o elogiou após vê-lo trajado em uma cueca num balneário e ainda confessou que havia sentido vontade de fazer sexo com ele. Após o elogio, o líder religioso acariciou o pênis da vítima, e depois fez até sexo oral no adolescente. O crime aconteceu enquanto a esposa e filhos do líder se encontravam em outro quarto da casa.
José Marques ordenou que ninguém se aproximasse do quarto enquanto ele estava “conversando” com o rapaz. O acusado não conseguiu ejacular, devido à situação constrangedora, mas depois o acusado se mostrou arrependido e pediu para que nada fosse falasse a ninguém.
Em outra ocasião, o adolescente afirmou que José em carona com ele pilotou a motocicleta a 120 km/h, ameaçando-o de matá-lo, caso saísse do grupo de jovem ou contasse para alguém o ocorrido. (Vela Preta/Emilly Coelho)
 

Notícia Publicada em: 28/02/2013
Comente essa notícia
comments powered by Disqus